10 Conselhos de Dom Gil para os grupos de Terço dos Homens.

A XII Romaria do Terço dos Homens no Santuário de Aparecida que aconteceu nos dias 14 e 15 e 16 de Fevereiro 2020; foi um encontro de bênçãos, partilhas e oração. Dom Gil Antônio Moreira, Arcebispo de Juiz de Fora (MG) e Referencial para o Terço dos Homens, deixou vários conselhos importantes para os homens de fé durante a sua homilia.

Destacamos os principais pontos para a reflexão dos grupos de Terço dos Homens:

*1 - O homem que reza o terço olha para Jesus e aprende cada vez mais com Ele, a cada dia;
*2 - Quem reza o terço não é mais surdo; ele escuta. Porque quando nós rezamos, nós não só falamos a Deus, mas Deus fala a nós;
*3 - O terço nos faz ficar com os ouvidos mais apurados, para escutar tudo mais o que Jesus quer nos falar e nos ensinar.
*4 - É preciso escutar com devoção, escutar o que o colega está falando, escutar o que o irmão está falando;
*5 - Você, quando está unido para rezar, Deus está falando também através da sua união, pela sua presença no grupo. O seu testemunho fala, por isso traz gente para Cristo;
*6 - É preciso ir atrás daqueles que não vem, daqueles que estão desanimados, daqueles que foram para outros caminhos... É preciso chamá-los;
*7 - Quando reza com fé, você está, com o seu exemplo, atraindo outros homens;
*8 - O nosso terço nos impulsiona para agir; muitos grupos de Terço estão agindo em favor dos mais pobres, dos doentes;
*9 - Nós não temos mais acanhamento de falar sobre Jesus, porque no terço nós também falamos. A nossa língua fica solta para falar das coisas do alto;
*10 - Duas coisas se casam como ouvir e falar: agir e rezar. Assim deve ser na vida dos homens do terço.
 

 
 

Conversão pastoral: Imperativo ou Modismo?

Cônego Sérgio Conrado 
A conversão pastoral tornou-se um elemento imprescindível para a Igreja hoje. 
No contexto espiritual de conversão, a pastoral necessita ser pensada pelos agentes de pastoral sob dois aspectos: a ação interior da graça de Deus e a mediação humana. A Conferência de Aparecida insiste para que o caráter missionário atinja todas as instâncias da Igreja: a institucional (estruturas) e a individual e comunitária (pessoas). Para tanto não basta a descoberta de novo instrumental ou estratégias. 
É necessário que haja uma transformação interior, baseada no encontro pessoal e comunitário com Cristo e, ao mesmo tempo, a manifestação exterior pelas ações. Trata-se de descobrir, por parte de todos os cristãos e agentes de pastoral, as exigências da fé como compromisso com a vida interna da Igreja e com sua ação no mundo. Palavras-chave
Missão eclesial; Conversão Pastoral; Estruturas; Pessoa; Comunidade.

 

- COMBATI O BOM COMBATE, COMPLETEI A CORRIDA, PERSEVEREI NA FÉ! - 2 Timóteo 4 6-9 

Eu te encorajo solenemente, na presença de Deus e de Cristo Jesus, que há de julgar os vivos e os mortos, por ocasião da sua manifestação pessoal e mediante seu Reino: 2Prega a Palavra, insiste a tempo e fora de tempo, aconselha, repreende e encoraja com toda paciência e sã doutrina. 3Porquanto, chegará o tempo em que não suportarão o santo ensino; ao contrário, sentindo coceira nos ouvidos, reunirão mestres para si mesmos, de acordo com suas próprias vontades. 4Tais pessoas se recusarão a dar ouvidos à verdade, voltando-se para os mitos. 5Tu, no entanto, sê equilibrado em tudo, suporta os sofrimentos, faze a obra de um evangelista e cumpre teu ministério. Paulo antevê seu martírio.
6Quanto a mim, já estou sendo derramado como vinho na oferta de libação. O momento da minha partida se aproxima. 7Combati o bom combate, completei a corrida, perseverei na fé! 8Agora me está reservada a coroa da justiça, que o Senhor, justo Juiz, me concederá naquele Dia; e não somente a mim, mas certamente a todos os que amarem a sua vinda.

Fica claro que o combate de Paulo não é literalmente uma batalha, uma guerra, mas uma imagem que descreve a vida do cristão, o seu comportamento, sobretudo em relação ao perseverar na fé. A vida do cristão é feita de escolhas e a liberdade que nos foi dada faz com que cada vez tenhamos que decidir qual estrada tomar; o bom cristão deve seguir fiel ao ensinamento divino. Esse processo é chamado por Paulo de "combate". O êxito final vai defini-lo como "bom" ou "mau".


 

SAIBAM COMO O PADRE PAULO RICARDO SE TORNOU DEVOTO DE NOSSA SENHORA.

CLIQUE ABAIXO:

padrepauloricardo.org/episodios/como-padre-paulo-ricardo-se-tornou-um-devoto-de-maria

 

Maria icone da igreja solidaria nas dores do povo.Mãe é vida, mãe é amor, mãe é fortaleza, é sensibilidade, por mais que tentamos, nunca conseguiremos dar todos os adjetivos que uma mãe deve receber no dia de hoje.

Hoje é dia de quem ama, sofre, chora e quando chega o entardecer, já está de pé novamente num sorriso que fascina, e nos
mostra o quanto é forte, exatamente como elas são e não deixar que nada a derrube.
Ser mãe é poder ter o maior dom que Deus pode dar, que é o de gerar vidas.

Parabéns por ser diferente, por ser essa pessoa maravilhosa,
por ser o motivo de orgulho dos seus filhos.

 

  Segundo o Estatuto, 

“O TERÇO DOS HOMENS" tem como objetivos agregar todos os homens para recitar o TERÇO em homenagem a NOSSA SENHORA, bem como seguir os ensinamentos do Evangelho do seu Filho NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, trazendo, desta forma, os homens para o seio da Igreja, conscientizando-os e motivando-os a desenvolver e utilizar o seu pleno potencial espiritual, como também, o social na família e na comunidade”.

É uma atitude muito Louvável. Sabemos que, por parte dos leigos, a uma imensa maioria esmagadora de mulheres que participam ativamente das missas, celebrações, terços e orações diversas. Ao contrário dos homens que, por vários motivos “nada convincentes” recusam estar presente nesses momentos sublimes.

Eis aí a grande missão que temos em nossa Paróquia; Numa comunidade marcada por violências e outros males praticados, na maioria das vezes, por homens, convidá-los a se encontrar com Deus através de Nossa Senhora.

Portanto, você homem, é convidado a fazer parte do movimento do TERÇO DOS HOMENS. Convide seus familiares e amigos e venha orar, cantar e louvar a Deus através da Reza do Santo Terço.

 

Um relacionamento de coração pra coração com Deus

Samuel tinha um coração puro, mas Deus precisava testá-lo nessa situação. Também é o mesmo para nós. Deus nos envia tarefas que provam nossa fidelidade. Eles podem parecer difíceis – talvez Deus nos peça para contar a verdade a alguém, como Samuel, mesmo sabendo que a outra pessoa pode não querer ouvi-la. Mas se eu quero provar que eu amo a Deus acima de tudo, então eu preciso obedecer, quando Deus fala em meu coração. Quanto mais rápido eu obedeço, melhor o resultado.

É o pecado que nos separa de Deus. Se não estivermos dispostos a nos humilharmos sob a vontade de Deus, a obedecê-lo e a destruir o poder do pecado em nossas vidas, experimentaremos que estamos afastados da graça de Deus, como Eli era. Mas se mantivermos nosso coração puro, podemos também ter este relacionamento de coração a coração com Deus, para que Ele possa falar conosco. Então nós também podemos ser cooperadores de trabalho com Ele como Samuel estava em seu tempo! “Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes.” Tiago 4:6.

Exame de consciência para uma boa Confissão

  Oração para antes da Confissão: 

“Senhor, iluminai-me para me observar como Vós me observas, e dai-me a graça de me arrepender verdadeira e efetivamente dos meus pecados. O Virgem Santíssima, ajudai-me a fazer uma boa confissão”

Como se Confessar:

Antes de mais, examine bem a sua consciência. Em seguida, diga ao sacerdote que pecados específicos cometeu e, com a maior exatidão possível, quantas vezes os cometeu desde a sua última boa confissão. Só é obrigado a confessar os pecados mortais, visto que, pode obter o perdão dos seus pecados veniais através de sacrifícios e atos de caridade. Se estiver em dúvida sobre se um pecado é mortal ou venial, mencione ao confessor a sua dúvida. Recorde-se, também, que a confissão dos pecados veniais ajuda muito a evitar o pecado e a avançar na direção do Céu.

Condições necessárias para um pecado ser mortal:

Matéria séria
Reflexão suficiente
Pleno consentimento da vontade

Considerações preliminares:
Alguma vez deixei de confessar um pecado grave, ou conscientemente disfarcei ou escondi um tal pecado?

Nota: Esconder deliberadamente um pecado mortal invalida a confissão e é igualmente pecado mortal. Lembre-se que a confissão é privada e sujeita ao Sigilo da Confissão, o que quer dizer que é pecado mortal um sacerdote revelar a quem quer que seja a matéria de uma confissão.

Alguma vez fui irreverente para com este Sacramento, não examinando a minha consciência com o devido cuidado?
Alguma vez deixei de cumprir a penitência que o sacerdote me impôs?
Tenho quaisquer hábitos de pecado grave que deva confessar logo no início (por exemplo, impureza, alcoolismo, etc.)?

 

Contato

TERÇO NAS MÃOS... FÉ NO CORAÇÃO!!! missionariosterconasmaos@gmail.com